Descomplicando a introdução alimentar

Seu bebê acabou de completar 6 meses de vida e aquela dúvida que todos os papais e mamães têm, vêm à mente: quais alimentos devo dar para ele comer?

Como a criança ainda não teve contato com outros sabores além do leite materno fica muito mais fácil controlar o que ela irá ingerir e aos poucos, perceber as preferências do paladar de seu filho e alinhá-lo à dieta de sua escolha.

A Sociedade Brasileira de Pediatria em seu Manual de Alimentação (2012) recomenda que desde a primeira refeição todos os componentes alimentares estejam presentes. Vamos mostrar a você tudo que precisa saber sobre como iniciar a alimentação do seu pequeno.

 

Como introduzir a alimentação do seu bebê?

Como você já deve saber, o bebê se alimenta do mesmo que a mãe quando mama no peito. Quando ele começa a comer alimentos sólidos, é importante que os pais comam a mesma coisa. Caso a família não se alimente bem, o mesmo acontecerá com o bebê, por isso uma mudança de hábitos é fundamental para uma nutrição completa.

O que a criança mais necessita nesta fase são carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, sais minerais e água. Recomendamos começar a introduzir uma papinha de frutas e ir testando os sabores até seu filho lhe dizer de qual gosta mais. Perto do oitavo mês, você pode dar duas porções de frutas e acrescentar mais duas papinhas salgadas, uma no almoço e outra no jantar.

Não esqueça! Nos primeiros meses de introdução alimentar, é importante que a criança continue mamando no peito até que esteja totalmente acostumada e confortável com a nova alimentação.

 

Que tipo de comida devo dar primeiro?

Não existe uma regra mas geralmente, assim como a maioria dos adultos, as crianças preferem os sabores mais doces, então, uma boa pedida é começar com banana, pera, mandioquinha e abóbora. O importante é não se prender apenas a esses alimentos, deixe seu filho provar de tudo que seja natural.

 

Se ele não gostar de algum alimento indispensável, o que fazer?

Corre-se o risco do seu filho não gostar de determinado alimento. Normal. Porém, não desista. Tente introduzir de maneiras diferentes, amassado com outros legumes ou frutas até que em algum momento ele aceite. No entanto, não force a barra ou ele pode ficar com uma espécie de “trauma” por ser obrigado a comer determinado alimento.

 

Desligue a TV e o tablet.

É elementar que seu filho não tenha distrações desse tipo durante as refeições. Ele deve sentar à mesa e comer as mesmas coisas que os pais (amassadinho, claro). Faça esse momento se tornar uma rotina especial para a família.

 

Doce é bom, mas melhor não.

Como falamos acima, seu filho ainda não sabe o sabor até comer pela primeira vez, então, até a primeira festinha de aniversário, evite que ele coma doces e alimentos industrializados. Até completar 1 aninho ele deve provar doce somente das frutas.

 

Sal pode?

O mesmo para o sal. Opte por substituir o sal por outros temperos como cebolinha, salsinha, hortelã, etc. A OMS indica 2g de sal por dia para crianças acima de 2 anos de idade, então, antes disso é melhor evitar ou utilizar aqueles com menos sódio como o sal do Himalaia e o sal Marinho.



Na correria, pode dar alimentos industrializados?

Os enlatados e congelados tornam nossa vida muito mais prática, porém, a nutrição proveniente desses alimentos é falha e ineficiente, principalmente para crianças. Esses alimentos são ricos em açúcar e gordura ruim, que podem causar problemas de saúde e obesidade infantil.

Tome muito cuidado com os números alarmantes que ouvimos sobre obesidade. Segundo dados da última Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde da Criança e da Mulher, mais de 7% das crianças brasileiras de 0 a 5 anos têm sobrepeso.

A obesidade aumenta o risco de diabetes, colesterol alto e hipertensão, doenças de adulto que têm um impacto muito maior em crianças. Por isso, o Ministério da Saúde recomenda o consumo de alimentos in natura, muito mais saudáveis e nutritivos.

 

Método BLW

O método BLW (do inglês baby-led weaning) consiste em deixar os alimentos cortadinhos e deixar seu filho pegá-los com a mão e deixá-lo à vontade para comer da forma que quiser. Ou seja, os alimentos são colocados à disposição do bebê cortados em pedacinhos ao invés de papinhas.

Alguns pediatras indicam introduzir as duas formas, tanto papas amassadas quanto alimentos em pedaços, pois, mordendo diferentes texturas e formas ele está desenvolvendo as gengivas e direcionando o nascimento dos dentinhos.

De maneira geral, a introdução alimentar deve levar em consideração os alimentos necessários para a nutrição completa do bebê e é muito importante que o tempo de cada criança seja respeitado para que ela se desenvolva da melhor maneira possível.

 

FONTE:

http://www.sbp.com.br/imprensa/detalhe/nid/blw-sociedade-brasileira-de-pediatria-lanca-guia-sobre-alimentacao-complementar/

http://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload

https://bebe.abril.com.br/alimentacao-infantil/como-criar-filhos-vegetarianos-ou-veganos-de-forma-saudavel/